Amanda Moresco – Página 3 – Amanda Moresco Blog
09.04.17

Pink me, baby

Não precisamos de muito quando nossa vida é cor-de-rosa, certo? É incrível como a cor rosa consegue chamar minha atenção onde quer que ela esteja. Quem nunca comprou um caderno que nunca vai usar apenas porque a capa é pink? Essa cor é apaixonante, bela, poderosa e, é claro, super glamourosa. Com o intuito de alegrar e inspirar vocês, resolvi trazer algumas de minhas pink pics que tirei e editei com muito amor.

29.03.17

Viajar sozinha: should I stay or should I go?

Viajar sozinho é uma daquelas coisas que todo mundo deveria fazer pelo menos uma vez na vida. Claro que é ótimo estar cercado de boa companhia, dividindo bons – e maus – momentos, rindo até doer a barriga e have a good time together. Contudo, viajar sozinho é mais do que apenas turismo. É um desafio pessoal, o qual nos mostra o quão importante é nossa própria companhia durante situações difíceis. Isso aumenta nossa auto-estima e nos dá a pura sensação de liberdade. Apesar de eu ainda não ter riscado esse item da minha never ending list, recomendo isso para todo mundo, principalmente para aqueles que se sentem solitários estando sozinhos.

Apesar de tudo isso parecer maravilhoso, nós, mulheres, temos que lidar com comentários negativos quanto a viajar sozinhas. Resolvi perguntar para algumas mulheres o que pessoas a sua volta disseram de forma a desencorajar essa decisão. E em meio a várias respostas, pude notar que o principal problema envolve o fato de que conhecemos constantemente pessoas diferentes enquanto viajamos. Às vezes precisamos perguntar onde fica aquele restaurante especial. Às vezes pedimos para alguém tirar uma foto nossa. Ou, às vezes – apenas às vezes – os deuses estão sendo muito legais conosco e nos apresentam uma pessoa bem legal e charmosa que nos convida para sair – parece demais, não?
O que você faria nesse momento? Você correria far, far away desse possível affair? Você se colocaria dentro de uma bolha e se isolaria do resto do mundo apenas porque “é perigoso, miga, não faça isso”? É claro que não! Quer dizer, coisas boas e ruins podem acontecer em qualquer lugar, tanto em outro continente, quanto na rua onde você mora. Nós simplesmente não escolhemos isso.

É claro, precisamos ser realistas: ter cuidado é algo que sempre devemos carregar em nossas bolsas, ok? Veja bem, se você sair com alguém, encontre ele/ela em um local público, como pubs, cafés, parques, shoppings. Se você pedir uma informação para alguém, não faça isso em uma rua escura e desabitada no meio da noite. Procure por um restaurante para fazer isso, ok?

Ao invés de imaginar todas as coisas ruins que poderiam acontecer com você, imagine todas as coisas maravilhosas as quais você estaria exposta. Explore o inexplorado, abrace novos ambientes e culturas, diga “sim” a novas oportunidades, faça amigos para vida e, o mais importante de tudo, have fun! Como eu disse anteriormente, viajar sozinho é mais do que apenas turismo: é um presente de você, para você mesmo.

21.03.17

Fondue em Gramado + paradinha em Nova Petrópolis

O título desse post já começou bem, certo? Comer já é maravilhoso, imagina um fondue, então? Como mencionei no post passado, eu e o mozão fomos a Gramado-RS nesse Domingo em busca de comidinha gostosa, mas não fomos aleatoriamente.

Programamos tudinho através do Laçador de Ofertas. Você conhece? É um site que disponibiliza cupons de desconto em restaurantes, hospedagem, entretenimento, saúde e beleza no Rio Grande do Sul. A lista de opções é tão grande que foi difícil decidir qual seria o programa do final de semana.

Optamos, então, por comer uma sequência de fondue no restaurante Maison des Saveurs em Gramado. Se eu e o Lucca fossemos comer com o preço original pagaríamos R$120,00 (duas pessoas), mas com os cupons o valor baixou para R$66,00. Por mais que isso seja maravilhoso, o que eu mais gostei foi a praticidade desse site, pois você faz a reserva online e já paga no sofá de sua casa. Na mesma hora o cupom é gerado e você pode imprimi-lo, ou, se preferir, é só mostrar o código pelo celular. Mesmo assim, recomendo que você imprima seu cupom, pois nunca se sabe o que essas tecnologias podem aprontar rs.

Ok, vamos ao que importa? A comilança foi maravilhosa! Se você já teve a oportunidade de comer uma sequência de fondue, sabe como funciona. Tudo começa com o fondue de queijo, seguido das carnes na pedra e, por último, o fondue de chocolate preto. Por termos feito a reserva através do Laçador de Ofertas, tivemos um extra: fondue de chocolate branco ♡ Eu já comi muito fondue de chocolate preto, mas o branco vai morar no meu coraçãozinho pela eternidade. By the way, chocolate branco com banana deve ter sido inventado em algum lugar no céu.

Eu sei que você deve ter ficado com muita – muita! – vontade de comer tudo isso e muito mais, então vou dar a barbada para vocês: os cupons para esse restaurante estão válidos até o dia 10/05/2017, então não perde tempo e suspire comendo essa delicinha.

Recomendo: se você não tiver muito tempo disponível na sua agenda, faça uma reserva com antecipação, pois os restaurantes aceitam um número determinado de cupons por dia, e as vagas acabam em questão de dias.

Depois de ter tido quase que um orgasmo gastronômico, eu e o mozão passeamos por Gramado, mas como já conhecemos bem a cidade, resolvemos mudar a rota, então nos direcionamos para Nova Petrópolis, que fica a 35km de Gramado. É incrível como moro perto de Nova Petrópolis e nunca havia dado um pulinho ali.

A cidade é extremamente agradável: limpa, organizada, bela e recheada de flores. Vocês se lembram do Núcleo de Casas Enxaimel que mencionei aqui no blog? Em Nova Petrópolis muitas das construções eram no estilo Enxaimel, dando a cidade um ar mais belo ainda.

Para nossa surpresa, pegamos o último dia da Exposição de Orquídeas, mas muitos outros produtos estavam expostos, como obras de arte, produtos de beleza e esses cactos ultra fofinhos ♡

Na praça da cidade há um labirinto que me fez criar fé na humanidade mais uma vez. Havia várias pessoas procurando o centro do labirinto, e todos se ajudavam. Várias pessoas nos disseram “não vai por aí que é caminho sem saída” ou “o caminho é por aqui”, e isso me fez sorrir calada, pois em momento algum pedimos informações, mas, mesmo assim, as pessoas queriam ajudar.

Essa viagem foi uma delícia! Como sempre falo: não importa o seu destino, seja em uma cidade ao lado da sua ou em outro continente, viajar alimenta a alma e nos faz perceber o quanto temos a conhecer ainda. Pegue sua câmera, monte uma playlist e just ride.

20.03.17

Meu primeiro soutien

Eu tinha 10 ou 11 anos de idade. Estava contente com mais uma manhã de sábado entupida de leite com Nescau e pão com Mumu. Gostava de assistir ao Mais Você, aquele programa da Ana Maria Braga, da época que ela passava por de baixo da mesa e apertava uma infinidade de imãs barulhentos. Minha mãe entra na sala e fala “filha, comprei algo para ti”. Logo achei que fosse algum CD pirata de Play Station 1 ou qualquer outro brinquedo maneiro. Quando abri a sacola vi que não tinha nada de maneiro na compra. “O que é isso?”, eu perguntei. “Um soutien“, ela respondeu. “Suti-quê?”, eu disse. “Soutien! É pra segurar teus seios, vai ajudar contra a gravidade”, ela disse em um tom de A Conversa Termina Por Aqui. Aquilo estava um tanto quanto confuso pra mim. Eu mal conseguia pronunciar a palavra direito e tinha que lidar com a ideia estranha de que algo tinha que segurar meus seios. E o que a gravidade tem a ver com isso? Eu tampouco entendia.

Era rosa, da Barbie e com rendinha infantil. Não tinha bojo; era apenas um pedaço de pano desconfortável devido à estampa e que não fazia o menor sentido de uso. Por que eu devo usar isso? Incomoda. E eu nem tenho seios ainda, eu pensava, tentando achar uma forma de colocar aquilo sem me enroscar. Uma parte de mim achou legal a ideia. Estava me sentindo um pouco mulher, com toda a responsabilidade que um soutien pode trazer. Usando aquele pedaço de pano medonho, imaginava-me uma mulher importante enquanto passava um cartão de crédito velho da minha mãe no telefone da sala.

Ter seios é uma responsabilidade enorme para uma mulher, se você parar para pensar que deve escondê-los sob qualquer circunstância – mesmo na hora de amamentar seu bebê, pois é algo degradante para uma mulher (reconheça meu tom de sarcasmo). Você não pode mostrar na praia e muito menos em casa; deve procurar por um soutien resistente que aguente uma bela corrida em câmera lenta. E lembre-se, jamais deixe o soutien aparecer para fora da blusa, só pelo fato de que “é feio, amiga”. É tanta responsabilidade, que eu nem sei como devo me direcionar a eles. Seios? Tetas? Peitos? Todas as palavras parecem meio estranhas depois que já saíram da minha boca.

Certo dia estava me preparando para ir à escola. Eu estava usando meu projeto de soutien, quando aquilo realmente encheu o meu saco. De última hora, resolvi tirar e ir para a escola assim mesmo. Estava um pouco frio, portanto ninguém notaria se eu estaria ou não vestindo aquela peça de roupa inútil com um casaco por cima.

E.T., havia esquecido de que naquele dia teríamos uma apresentação no recreio. Como você deve imaginar, eu tive que tirar aquele casaco devido aos movimentos da dança e ao calor. Lembro-me como se fosse ontem: todos os alunos do turno da manhã estavam no ginásio para ver nossa apresentação; para nos ver dançar; para me ver dançar; para ver que eu não estava vestindo uma peça vital do meu roupeiro: meu soutien. Quando olhei para meus seios, ou tetas, peitinhos, enfim, eles haviam crescido, e eu não havia notado. Foram 10 minutos de constrangimento e daquela sensação Todo Mundo Está Olhando Para Mim – e realmente estavam.

Até hoje não consigo entender o porquê de todo esse trauma. Tenho certeza de que ninguém estava dando bola para uma criança de tetas disformes dançando Man! I Feel Like A Woman. Bom, mas isso não importa; o que importa é esse soutien tinhoso que vou tirar quando chegar em casa. E mamãe tinha razão: a gravidade não ajuda.

14.03.17

My Never Ending List

1. Voltar a estudar Francês

2. Fazer um cobertor de crochet
3. Viajar frequentemente pelo RS com o mozão 
4. Voltar a fazer aula de canto
5. Viajar para Buenos Aires
6. Tomar café na casquinha

7. Fazer burritos para os migos com a receita que eu e o mozão criamos 

8. Ter um cabelão comprido e saudável 

9. Comer comida mexicana no México
10. Morar sozinha em um apartamento aconchegante, cheio de amor e de festas 
11. Conhecer a Alemanha de Norte a Sul
12. Ser tolerante
13. Pesar 50kg (tô quase lá!)
14. Ver o pôr-do-sol bebendo cerveja artesanal
15. Ter um armário só de Melissas
16. Fazer uma tattoo nova
17. Viver de blog
18. Conhecer Las Vegas com o mozão
19. Dizer mais “sim” para as oportunidades que a vida oferece 
20. Aprender a andar de bicicleta de novo (sim, eu desaprendi)
21. Fazer um cruzeiro ✔ a dois
22. Estudar Turismo
23. Comprar patins
24. Aumentar a auto-estima de uma pessoa através da fotografia 
25. Ir a uma festa à fantasia 
26. Me olhar no espelho e dizer “que gata, hein?” 
27. Ir ao show do John Mayer ✔ e da Lana Del Rey
28. Não ter vergonha de cantar na frente dos outros 
29. Viajar sozinha 
30. Tomar chá inglês na Inglaterra 
31. Posar para um ensaio fotográfico sensual
32. Fazer uma semana detox
33. Ter um armário com 100% de roupas que eu realmente uso 
34. Esquecer o passado e focar no futuro
35. Escrever um e-book 
36. Comer fondue em Gramado com o mozão 
37. Conhecer um clube de striptease ✔
38. Virar o jogo The Binding of Isaac
39. Fazer um álbum de fotos reveladas
40. Aprender a fazer minhas próprias roupas
10.03.17

Passeando pela Itália? Conheça Orvieto

Eu sei, eu sei… A nossa lista de lugares para conhecer nesse mundão é muito grande e ela não para de crescer. Se um de seus destinos for a Itália, pare tudo e reserve um diazinho para conhecer Orvieto, uma cidade medieval, calma, bela e única.

Orvieto está situada em cima de um platô, e passeando por toda costa da cidade temos acesso a uma visão fantástica e a essa amarelinha super simpática. No dia em que visitamos fazia muito frio e o tempo estava extremamente nublado, fazendo com que essa visão sombria fique marcada para sempre na lembrança.

A arquitetura de Orvieto é linda e rústica, sendo a cidade feita toda de pedra, desde o chão por onde pisamos até casas, restaurantes e lojas. Sabe aquelas ruas apertadinhas e charmosas? A cidade é recheada delas dando à trip um ar super aconchegante.

Ali é tudo muito calmo e de muita paz. As pessoas falam baixinho, possibilitando um encontro com o nosso eu interior. Se você estiver viajando sozinho, recomendo a não utilizar fones de ouvido. Deixe que o silêncio te guie por essas belas ruas.

A cidade é muito contida, não havendo poluição visual. Em Porto Alegre tenho que tomar cuidado para não bater de cara com uma placa, já em Orvieto até as fachadas são discretas e elegantes.

Quando se planeja uma viagem à Itália pensamos em comida – muita comida! Eu achei que fosse comer a melhor massa da minha vida em qualquer canto de esquina lá, mas, na verdade, no Brasil há muito mais opções de sabores do que na própria Itália. Pude sentir isso tanto na massa, quanto na pizza. Geralmente, nos restaurantes, tínhamos cinco opções de sabores no máximo, e sempre encontrávamos o sabor tartufo (corpos frutíferos de Tuber, um gênero de fungo).

Em um restaurante dessa bela cidade resolvi experimentar uma massa com esse tal tartufo. Gente, eu não acreditei na hora, mas o sabor era exatamente igual a milho verde – sério mesmo! Eu me senti na beira da praia comendo um milho com manteiga. Resolvemos levar um para casa, porque né, quem não quer milho verde italiano? rs

A cidade inteira é apaixonante e merece a visita. Orvieto fica a 120km de distância de Roma, portanto, estando na capital é um bate e volta imperdível.