A sutil arte de ligar o foda-se – Amanda Moresco
12.06.18

A sutil arte de ligar o foda-se

Uau, que título! Queridx, já vou dizendo que não é de minha autoria, ok? A Sutil Arte De Ligar O Foda-se é o nome de um livro que você tem que ter em sua estante, e não apenas porque ele é lindo, laranja neon e vem com um título rebelde, mas porque todo o conteúdo que ele carrega em cada página é precioso e merece deve ser lido para já! Serei bem sincera: não é qualquer livro que me prende, e pode apostar que eu praticamente mergulhei para dentro desse aí.

Você talvez se sinta um pouco incomodado enquanto lendo esse livro, pois cada página virada era um tapa nessa minha cara. Ele carrega muitos questionamentos sobre princípios, fracasso, sucesso, culpa, responsabilidade, sofrimento, autoaprimoramento, ou seja, toda aquela conversa que um dia, querendo ou não, teremos com nós mesmos, mas ficamos adiando só porque é mais fácil seguir no automático – não é?

Acontece que quando somos honestos com nós mesmos, tudo fica mais fácil; conseguimos mapear a situação, traçar um caminho e chegarmos onde queremos – onde queremos de verdade – mas ahh… como é difícil nos enfrentarmos, não? E o autor não é nem um pouco delicado em suas palavras. Com uma linguagem bem informal e de forma bem direta, ele mostra verdades que nos fazem repensar nossos atos, nossos desejos, nossos valores (consegue imaginar isso?). Como estou constantemente me questionando, o livro acabou se tornando muito interessante, ao invés de um desconforto.

Muitos momentos do livro se destacaram enquanto lia, mas um deles quase piscava em luzes neon e foi extremamente importante para mim: a diferença entre culpa e responsabilidade. Basicamente, culpa remete passado, enquanto que responsabilidade remete futuro. Todas más experiências que você teve até agora e que te trouxeram à sua atual situação não são relevantes quando queremos prosseguir e pensar adiante. Contudo, independente de sua atual situação, é sua – e apenas sua – a responsabilidade de prosseguir. Apenas você é responsável pelo seu futuro e por alcançar seus sonhos.

Enquanto lia esse capítulo, os tapas que o autor ia dando na minha cara ficavam mais intensos, pois fui me dando conta do precioso tempo que eu perdi culpando os outros por tudo o que fiz ou deixei de fazer. Enquanto que, há anos atrás eu deveria ter pensado “foda-se de quem é a culpa nessa história toda, vou pensar daqui para frente e seguir o baile”. Sacam a diferença entre culpa e responsabilidade agora?

Muitos outros temas são abordados, e você pode ser tocado de infinitas formas enquanto absorve o que o livro tem para oferecer. Se você está aberto a voltar um pouco na sua timeline e repensar alguns conceitos, esse livro é uma boa pedida.