5.3.17

Open de arrependimento

Shit... I'm here again

Todos os dias da sua vida são normais: você acorda, cumpre sua rotina, volta para casa e se prepara para o dia seguinte. Todos os dias são da sua vida pacatos, até que chega um dia em especial. Aquele no qual todo mundo começa a te mandar vídeos no Whats App comemorando a chegada da Sexta-feira. Basta um vídeo de um anão dançando de lingerie para você se lembrar de que "hoje tem, miga". Você joga toda aquela papelada medonha pro alto e sai do trabalho dando beijo no porteiro com aquela soundtrack mental “because I'm happy...”. Você está andando na rua e se imagina em um flashmob maneiro com balões e aplausos ao final, afinal, todos os dias são normais, mas esse em peculiar é excitante.

A galera sai do trabalho e já vai dando aquela olhadinha nos eventos do Facebook com o intuito de achar uma festa legal. Festa com tinta é legal; festa com moloko é legal; festa à fantasia é legal, mas nada é tão duplo twist carpado legal quanto uma festa open bar. Se você gosta de festas assim, sabe que pode esperar por tudo nesses eventos. Espere por cantadas ridículas como "E aí, gata, se colocar um coco na montanha, rola ou não rola?” e também pelas grotescas do tipo "se tu fosse um peido, eu jamais te largaria".

Uma boa open é aquela que te dá momentos inesquecíveis e uma bela dor de cabeça no dia seguinte. Tenho um amigo que ao sair de uma, deitou no meio da rua, tirou o relógio, colocou no chão e dormiu, como quem dorme no conforto do lar. É óbvio que uma pessoa não vai a uma festa achando que vai acordar deitada no meio da rua com um mendigo ao lado, mas o intuito é se acabar. E tudo começa tranquilamente; você bebe uma cervejinha, um combinho, um drink, uma tequila, opa, mais uma tequila e quando você se toca da sua real situação, você está em cima do palco tentando tirar seu casaco, mas sua camiseta vem junto e você fica preso nos dois com os braços para cima contando com a ideia de que ninguém está vendo aquilo.

Como eu disse, você não planeja nada disso, a única coisa que você planeja é aquela entrada triunfal, um passinho que você aprendeu no clipe da Beyoncé e achar aquele boy que você imaginou enquanto se arrumava. E na verdade esse é o problema de muitas mulheres que eu conheço - inclusive eu. Nós vamos à festa achando que vamos nos pechar na escada com o boy que vai acabar com nossa fama de solteira encalhada. E sinceramente? Não vamos. O máximo que vamos achar é nossa nova miga vomitando no banheiro e uns homens que vão até o chão muito melhor do que nós.

Sinto que muitas pessoas vão a festas procurando por coisas que não existem ali. Se você estiver procurando por gente faceira, vodka barata e lotação de casa, você acertou em cheio. Chega aquele momento na festa em que a casa está tão cheia, que se você entrou em coma alcoólico, ninguém vai notar, pois você vai continuar na vertical amassado entre corpos suados.

Há também aquele momento em que o DJ bota uma música sexy como Oops!... I Did It Again. Bom, pra quê? As mulheres saem de um estado ok para um estado de alerta, como se estivessem em uma caça. É o momento em que queremos sensualizar, jogar o cabelo pro lado e - tentar - dançar como a Britney Spears. Os homens, bem, tentam passar a impressão de que estamos dançando super bem, só para ver se o coco rola na montanha mesmo.

Mas sabe como é, né? Open de vodka, de cerveja, de miga, de má reputação, de falta de boy, de risada, de choro, de foto queima filme no Facebook e, é claro, de perda de dignidade. Apesar de ter quisto muito vir à festa, to aqui só esperando amanhecer para pegar o ônibus e deitar na minha cama. Prometo que Sexta que vem não saio de casa.

40 comentários:

  1. Ás vezes a sociedade é bastante intrigante, ainda conseguiste arranjar uma opinião formada sobre isso, eu às vezes nem palavras tenho porque não vale apena! Mas concordo, é falta de dignidade.

    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  2. Que texto mara, Amanda (e super realista também)
    Parabéns!
    PS: tô seguindo o blog :)

    ResponderExcluir
  3. Adorei! Super me identifiquei. Sexta realmente é dia de sair de casa e de viver aventuras e muitas surpresas. Beijinhos.

    ResponderExcluir
  4. Ah, mais quantas reflexões!
    Sexta é sempre nosso dia mais aguardado né?
    As festas são quase que rotina, beber, dançar, idealizar um amor, segurar o cabelo da miga (ou ter o cabelo segurado, quem nunca?). Ou entrar no banheiro, se olhar no espelho e falar para si mesma: "Tô loka" hahaushns.
    E, se muito bem: sexta que vem estaremos lá de novo. E prometeremos que não vamos mais. Dizem que uma hora, a gente sossega. Será?

    Beijos,
    http://nitente.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Guria, eu consegui dar uma sossegada, mas isso só depois do namoro. Não porque eu ache que depois do namoro não existe mais vida social, e sim porque achei outros hobbies para praticar em casal <3 Festa FESTA saímos muito pouco agora.

      Excluir
  5. Você escreve com mta propriedade e sentimento, gostei mto da reflexão e principalmente pq vc escreve mto bem! Vou acompanhar :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha gostado, Julie! Seja bem-vinda!

      Excluir
  6. Sexta é o dia mais esperado pela maioria das pessoas, é o dia que já vamos pro trabalho, escola ou faculdade com aquela expectativa do que vai rolar mais tarde. Já nos outros dias é aquela coisa, só ligamos o automático e fazemos nossas obrigações.

    Amei o texto, você escreve realmente bem. xx

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza, Ana! Muito obrigada pelo elogio e pela visita <3

      Excluir
  7. Pensa em uma pessoa que é apaixonada por textos nessw estilo... Eu!
    Super me identifiquei com essa sensação de querer preencher uma semana difícil com uma sexta à noite! Ressaca é normal em um domingo a noite, né? Haha. Amei o post! <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahah fico feliz que tenha gostado, Fabiola! E sim, todos nós já passamos por essa situação haha seja bem-vinda ao blog!

      Excluir
  8. Você escreve bem! Haahhaha me diverti lendo o texto, nós deviamos viver todos os dias da nossa vida como se fosse sexta feita (claro, não na parte do alcool hahah nao queremos ter problemas futuros, ne?) mas em toda essa animação e empogalçao, as vezes acho triste esperar todos os dias 'pacatos' passarem pra chegar em um dia de plenitude hahahahah

    Amei o texto
    Beijocas,
    www.dossiedeverao.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah com certeza seria maravilhoso viver todos os dias como uma Sexta-feira <3

      Excluir
  9. Achei engraçado com uma pitada de sinceridade , ah você pode sair todas as sextas viu , tem nada melhor na vida do que curtir aquele open de sexta ♥

    ResponderExcluir
  10. Entendi o recado que quis passar, embora nada disso tenha a ver comigo, rs. Mas penso que: nem sempre precisamos esperar apenas pela sexta-feira para fazermos algo que gostamos. Pode ser na segunda também. Que mal tem? Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza, Suellen <3 Podemos curtir sempre que der na telha!

      Excluir
  11. Super realista você! Bem sincera e acredito que seu recado foi dado! Vamos curtir a vida né?! Bjs.

    ResponderExcluir
  12. Seu texto me fez adentrar outra realidade haha. Eu nunca fui a uma festa assim... tudo bem que eu ainda não tenho 18 anos, mas nunca me imaginei numa fest assim :p sou meio tranquila quando o assunto é sair, beber e socializar!

    Adorei o texto, amora. Ficou ótimo e super divertido :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espera fazer 18, Luana hahaha eu também não era assim

      Excluir
  13. Eu nunca fui muito de sair, e por mais que a idade ainda não esteja "adequada" (mesmo que eu ainda ache que não precise ter idade, precisa apenas gostar), pessoas ao meu redor já estão nessa vibe. Eu nunca me imaginei. Mas tudo se tem uma primeira vez, né? Quem sabe um dia, em uma sexta-feira, eu me lembre desse texto e queira sair em busca dessa aventura descontrolada, haha! Amei o texto!

    Bjos, Marinspira <3

    ResponderExcluir
  14. que texto legal, gostei da empolgação do começo do texto, mas assim é a vida, exitem coisas que fazemos e nos arrependemos depois. O importante é levantar a cabeça e seguir em frente por que não ha quem não tenha nada do que se arrepender. Beijos

    ResponderExcluir
  15. Esse texto me lembrou de algumas amigas (inclusive vou mandar pra elas haha). Eu sou uma pessoa super caseira, nunca gostei de balada, nem festa. Realmente não faz o meu tipo. Mas sou aquela que na segunda na faculdade fica ouvindo as histórias e se divertindo com as amigas que por causa do álcool pegaram até aquele boy que ela destilava o ódio, ou a que tentou dançar pelada na rua. Acho que cada um tem uma forma diferente de curtir a vida e no final o que importa é se sentir feliz e ter a certeza de que esta curtindo cada momento, pois a vida é muito curta para não aproveitarmos. Beijos 😘❤

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahaha dançar pelada!! Na verdade, sob o alcool só fazemos aquilo que temos muita vontade no fundo coração e acabamos colocando culpa na tequila hahaha

      Excluir
  16. Adoro tuas escritas! nunca fui mt fã de festa, já fui em muitasmuitas mas por X motivos é algo que me faz mal, porém, tudo o que citou é muito real, haha <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza, Liz. Hoje em dia estou meio parada também, mas às vezes dá saudades dessa loucura.

      Excluir
  17. Adorei a forma divertida como tu escreveu o texto inteiro, ficou verdadeiro e engraçadinho. Nunca fiquei assim numa festa, mesmo nos opens da vida. Sou soda, eu sei aouiahaoiuhaoiuh Parabéns pela escrita!

    Beijos!
    www.blogcarolnasnuvens.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  18. Adorei o texto. Não tenho muitas experiências com festas e menos ainda com open bar pq nem beber bebo haha! Mas achei o post numa ótima reflexão, e ele mostra bastante do que acontece na real nesses lugares. Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, Camilla! Obrigada pela visita <3

      Excluir
  19. Primeiro parabéns pela escrita =) segundo, pura realidade. (e agora mais uma coisinha... fui apenas eu ou passou-se um filme na minha cabeça? kkkk tudo o que relatou da mesmo um filme. Nos procuramos coisas por vezes (como relatou) em festas algo que não temos em casa ou na vida. ) O alcool eu até que sou controlada, nunca fui de beber muito. (também nunca fui muito de festas e discotecas ou coisas do género. Logo não chegar ao ponto de tirar o casaco com a camisa junto é normal para mim kkkk)
    Beijo =)
    O meu blogFanPageInstagramTwitterCanal no Youtube

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cada um com o seu estilo, né? Mas é bem assim mesmo!

      Excluir
  20. Eu me identifiquei, Na verdade com a Simone de alguns anos a atrás. Entre drinks e passinhos estranhos, tentativas de olhares sensuais para ver se fisga alguém. Uma caminhada de leve na madrugada escorada na amiga, implorando ao caminho para que encolha e chegue logo na cama, mas no próximo fds eu ia querer sair de novo hahah. Ótimo texto
    Charme-se

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olhares sensuais, quem nunca? hahahah a gente smepre se arrepende e sempre volta, não é?

      Excluir

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo