22.2.17

My musical feelings


Que tipo de música você gosta? Rock? Indie? Pop? Folk? Reggae? Com tantos estilos musicais disponíveis acho difícil me prender a somente um ou dois. Já me fizeram essa pergunta várias vezes, e eu nunca soube responder. Sou uma constante inconstância e meus gostos são tão amplos quanto o oceano.

Há um tempo atrás cheguei a conclusão de que realmente não tenho um estilo musical favorito, e sim músicas favoritas que me trazem boas lembranças. E acho que isso acontece com todo mundo. Quem nunca trocou a estação do rádio quando a música que estava tocando lembrava alguém que não queríamos lembrar? As músicas que ouvimos estão intimamente ligadas ao sentimento que temos ao ouvi-las.


Amo as músicas dos anos 90/2000 pois elas me transportam para uma fase muito especial da minha vida. Uma época em que minhas maiores preocupações eram não perder o horário do treino de handball e sair correndo para o bar da escola na hora do recreio antes que aquele salgado de queijo maravilhoso acabasse.


Quando fiz 18 anos, portas, janelas e festas se abriram para mim. Aqui em Porto Alegre tinha uma casa de festas muito famosa chamada Cabaret: uma pocilga, mas uma pocilga muito amada pelos frequentadores. Nessa época minha maior preocupação era o vestibular, que foi um inferno na minha vida, pois eu não queria ir para faculdade ainda.

O Cabaret era minha válvula de escape. Era o local onde eu me sentia liberta, leve e feliz; onde eu fazia migas de infância por uma noite. Nos consolávamos, emprestávamos o batom e falávamos coisas do tipo "esse boy é lixo, vai lá e mostra para ele quem tem poder". Enquanto isso, Dog Days Are Over tocava e parecia que todos partilhavam do mesmo sentimento, da mesma dor e da mesma felicidade. Todos na festa se abraçavam, entendiam-se e batiam palmas junto à música. Nunca saberei explicar a magia daquele lugar, só sei que a carregarei para sempre em meu coração.


Você tem alguma música que sempre te faz chorar por algum motivo? Eu tenho: Ride da Lana Del Rey. Na época que eu descobri essa música eu estava passando por uma fase em que eu não me encaixava em nada do que estava fazendo. Eu fazia uma faculdade por obrigação e desistia de tudo o que começava, justamente por não ter me encontrado profissionalmente.

Eu não queria fazer o padrão e nem ser o padrão. Admito que sempre fui a ovelha negra e era inadmissível me formar, trabalhar e odiar minha rotina. Queria ser maior do que jamais imaginaria ser e não estou falando sobre dinheiro e fama. Eu só queria pegar um carro, rodar por aí, conhecer pessoas e locais e estar em contato com meus sentimentos.

No início da música, Lana fala "Eu sempre fui uma garota incomum. Minha mãe me disse que eu tinha uma alma de camaleão. Sem bússola moral apontando para o Norte, sem personalidade fixa. Apenas essa indecisão interna que é tão grande e tão balançante quanto o oceano.", e eu tomei essas palavras como um lema de vida, que por mais que eu lutasse contra, eu sempre perderia a batalha.


Não há coisa nesse mundo que eu ame mais do que viajar. Sempre que planejo uma viagem, faço um café e escuto Deep House. Esse é aquele tipo de música que te deixa feliz, triste e calmo ao mesmo tempo. É o tipo de música perfeito para se ouvir em um final de tarde chuvoso junto da melhor companhia: você mesmo.

Eu não sei como, mas esse estilo musical tem um poder sobre mim. Faz eu entrar em contato com minhas angústias e pensar "está tudo bem, vai passar". É como se eu abraçasse meus monstros e fizesse um acordo de paz com eles. "Paz". É justamente isso que eu sinto.


Eu sempre sinto o coração quentinho quando escuto Fly With Me. Nesse momento não há tristeza, apenas felicidade. Faz-me lembrar sobre como tive sorte em encontrar meu companheiro para vida toda. Seria muito bobo se eu dissesse que nos imagino viajando, sorrindo e andando de mãos dadas enquanto o sol brilha e os pássaros cantam? É bobo mesmo, mas agora já disse. E é justamente esse o propósito da música. Fala sobre um casal apaixonado viajando pelo mundo, conhecendo lugares maravilhosos e having a good time - não sei como falar isso em Português.



Sou e sempre serei muito ligada à música. Ela é capaz de transformar o meu dia e meu estado de espírito. Ela fala por mim e me transporta para onde meu coração desejar.

22 comentários:

  1. Nossa!! Quanta música booooa!
    Que saudades que tenho dos meus 15 anos que escutava e dançava Destiny's Child, me acabava rss

    ResponderExcluir
  2. Florence.. Beyoncé e Lana... mulher acabou comigo... nossa amo essas músicas... bateu saudades de uns aninhos atrás. Adorei esse post...muito!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Elas são fantásticas, não? Muito obrigada, Rafa!

      Excluir
  3. Arrasou me amarro em Destiny's Child e Lana Del Rey!

    ResponderExcluir
  4. Enquanto estava lendo sua lista fui fazendo a minha mentalmente, com os momentos que você ia falando. Adorei pensar em todas as minhas musicas, e conhecer um pouco das suas e da sua história.
    Sucesso sempre ;*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É ótimo poder relembrar esses momentos <3 Muito sucesso!

      Excluir
  5. A música tem essa capacidade de nos remeter às melhores lembranças. Minhas favoritas são (e creio que sempre serão) as dos anos 80. Parabéns pelo post, reavivou memórias!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza, Ane! Muito obrigada. Fico feliz que tenha gostado!

      Excluir
  6. Não tenho um estilo favorito, nem uma época, eu sou apaixonada por música, pela sensação que ela me traz, por algumas lembranças, não todas. Costumo dizer que más pessoas estragam boas músicas, mas não há nada melhor do que superar a sensação ruim!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Más pessoas estragam boas músicas", adorei essa frase <3

      Excluir
  7. Eu gosto de vários estilo não tem um ao certo amei o post

    ResponderExcluir
  8. Amei o post, músicas sempre me trazem uma sensação tão boa. E para mim não importa o estilo, e sim a música

    http://rabiscandohistoriass.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo contigo, Lyta! Obrigada pela visita <3

      Excluir
  9. adorei o post mais tenho que confessar que sou bem ecletica as musicas dependem do meu estado de espirito

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza! Nós as escutamos conforme nossa vibe.

      Excluir
  10. Que blog lindo, querida! Já segui ♥
    O post ficou ótimo hahah Da uma nostalgia gostosa, né?

    Beijinhos,
    Dossiê de Verão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha gostado do bloguinho, guria <3 Seja bem-vinda!

      Excluir
  11. Oi Amanda, tudo bem? Ah que post mais amorzinho <3 Também sou completamente envolvida pela música. Cada momento exige uma trilha sonora, cada namorado, cada experiência, cada viagem, e sim, é muito bom sermos ecléticos e ouvir de tudo um pouco haha Amei sua seleção, ainda não conhecia algumas, mas já salvei para ouvir de novo. Beijos, Érika ^^

    ResponderExcluir
  12. Dog Days Are Over lembra-me a trilha sonora do filme Comer,Rezar e Amar. Eu gosto muito dela porque passa a idéia de uma pessoa que foi enclausurada por muito tempo e decidiu se libertar de tudo que não cabia e nem vestia a alma dela.
    Beijos!
    http://vivendolaforanoseua.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo