6.2.17

Fui a um clube de striptease!


Janeiro de 2017: o mês em que conheci um clube de striptease. Esse dia foi um daqueles em que você fala para seu namorado "amor, vou sair com as amigas em uma noite de gurias, ok?" e você nem sabe o que te espera. Ok, parte de mim já esperava por alguma coisa. Umas tangas apertadas, barriga de tanquinho e quem sabe algumas tetas. Contudo foi uma experiência muito mais completa que jamais esquecerei.

Estávamos quase chegando, só faltava retocar o batom e dar a última olhadinha na make através do espelho de um carro estacionado na rua. Eu já havia passado muitas vezes na frente daquele clube, mas nunca imaginei que fizessem festas de striptease ali. Logo quando chegamos, a porta dava de cara com uma escada que subia para o segundo andar. Mesmo longe do palco principal, já pude notar as luzes e me engasgar um pouquinho com a fumaça que vinha de algum lugar.

Certo, eu vou confessar: eu estava bem nervosa. Senti como se eu fosse Norman Bates em Bates Motel fantasiando minha mãe ao meu lado dizendo "isso não foi o que eu te ensinei, Amanda". Quando terminei de subir as escadas tive noção do ambiente. Um local pequeno com mesas e cadeiras, uma copa com a caipirinha mais forte que você vai tomar e um palco do qual você jamais vai se esquecer. Uma música Pop dos anos 90/2000 estava tocando e isso já era o suficiente para eu me sentir em casa.

Havia mulheres de todas as idades, e eu com certeza era a mais nova dali. Acho que vim um pouco arrumada demais. As mulheres estavam vestidas como se estivessem assistindo à novela em casa; como se aquilo fosse super corriqueiro de seus dias e não merecesse um traje especial. Notei que todas conversavam entre si - todas mesmo! Como elas todas se conhecem? Tem muita mulher aqui. Que tola eu de imaginar que mulheres faziam isso uma vez na vida e outra no divórcio. Elas conheciam o segurança, o apresentador, os bartenders e inclusive os gogoboys, mas é conhecer mesmo do tipo "até a próxima, Tiago!".

Perdida em meus pensamentos ingênuos, fui interrompida por uma música brega e bem alta que hoje em dia já não faz sucesso - e que está quase entrando para a Rádio Continental. Uma fumaça atrapalha minha visão e gritos de mulheres entrando no cio tomam conta do ambiente. Um dos gogoboys entra em ação e começa a fazer uma dança que até hoje não entendo.

Até ali tudo ok. As mulheres estavam se divertindo, o gogoboy fazendo seu trabalho, até que ele começa a tirar a roupa. Eita, peraí, ele está tirando um pouco demais... Pode isso, produção? Enquanto começo a ficar um pouco desconfiada, tento manter um sorrisinho no rosto e uma pose à copa como quem acha isso perfeitamente normal e não perdeu a virgindade a pouco tempo.

Vocês se lembram do que eu disse? Esperava umas tangas e tal, mas não nudeza total! Quando eu menos esperava, uma mulher com cabelo longo e vermelho como o fruto do pecado para ao meu lado para comprar uma bebida. Ela devia ter seus 70 e poucos anos, e com certeza era o oposto da velhinha do tricô. Ela olhou para mim e disse "você é nova aqui, né?". "Sou... como você sabe?", Respondi. Com a malandragem no rosto, ela se apoiou no bar e disse "primeiro de tudo, nunca te vi aqui... todas que estão aqui batem cartão. E essa tua cara tentando fingir tranquilidade não engana ninguém". Ela continuou "meu nome é Sol, venho aqui direto e sei tudo o que acontece. Já tomei muito café da manhã aqui". "O quê? Café da manhã?". "Esqueci que tu é novata" ela disse, "café da manhã é uma dança especial só para ti com direito a puxão de cabelo e uns tapinhas nessas bundas saradas".

Sorte minha ter escolhido um local estratégico à copa que era pouco acessado, pois, cada vez mais desnudos, os gogoboys dançavam esfregando seus corpos suados na mulherada, que por sua vez achava isso a dádiva do Nilo. Era marinheiro, policial, bombeiro, cigano e até padre. Depois dessa nunca mais verei padres da mesma forma - acreditem. 

Conheci a Sol, uma mulher que me fez repensar sobre a terceira idade. Eu vi teta, eu vi bunda, eu vi muita genitália. Vi homem gostando do que faz e vi mulher se abanando com a própria bolsa. Vi coisas que não queria ver e que não podem ser desvistas. Bom, pelo menos eu posso sentar a uma roda de amigos e dizer "eu já fui a um clube de striptease".

41 comentários:

  1. ADOREI! Sério, um dos posts mais legais e diferentes que li nos últimos tempos :)

    Beijo!
    Cami.

    www.delamila.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahhh fico feliz que tenha gostado, Camila!! Um beijo!

      Excluir
  2. Esse post com toda certeza conquistou o meu coração!!

    Blog da Luuh

    ResponderExcluir
  3. Que post maravilhoso, mergulhei de cabeça na história hehe
    Amei!

    ResponderExcluir
  4. Moooorta.... Quando comecei a ler, pensei, ah, será um daqueles textões que farei uma leitura dinâmica, pulando trechos desinteressantes, mas na verdade, não só li cada palavra, cada linha, como voltei alguns pedaços para poder rir mais e imaginar a sua cara.... Miga, já passou pelo clube de streep, agora precisa conhecer uma casa de swing hahaha...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. UAHAUHAUAHUAH ai, miga, um passo de cada vez. Essa primeira experiência já foi um pouco demais para mim, ainda estou me recuperando auahuahauahu Um beijo!

      Excluir
  5. Nossa nunca vi post assim na blogosfera e adoro ler historias ame amei amei

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahhh que bom que gostou, Luh! Seja bem-vinda! Um beijo, querida!

      Excluir
  6. Eu ri muito com esse post KKKKKKK
    Garota agora vc tem uma história super inusitada para contar, arrasou. Tem que viver a vida mesmo.
    Beijo

    www.nannamais.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza, Helaine! Essa história vai ficar para sempre! Um beijo!

      Excluir
  7. Eu tinha o mesmo pensamento que você sobre o clube de striptease, achei eram só algumas tanguinhas hahaha
    Socorro eu iria ficar com a mesma cara que sua, só tentando fingir tranquilidade

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Siiiim, guria! Foi muito tenso, mas pelo menos conheci!

      Excluir
  8. Meu Deus, isso é uma história real? Acho que a Sol daria uma personagem incrível ♡ haha
    Acho que ficaria super nervosa e sairia correndo quando visse as pessoas sem roupa kkk mas amei demais esse texto, prendeu minha atenção da mesma forma que um livro muito bom prende. Adorei!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É real, guria!! Claro que a gente sempre dá umas apimentadas nas crônicas, mas 90% do que está escrito eu presenciei hahahhah muito obrigada!!!

      Excluir
  9. Eu entrei aqui sem esperar nada, e CARAMBA! Eu estou afinada XD
    Que baita experiência! Ainda não consegui assimilar que isso é um relato real (ou não?). De qualquer forma, eu ADOREI o seu texto <3

    www.verifiqueapagina.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Guria, é real, acredite! Foi muito engraçado, apesar de ter ficado um pouco com medo hahahah Fico feliz que tenha gostado!

      Excluir
  10. A história é verídica? hahah
    Seu texto ficou ótimo! ótima escolha de palavras, personagens, adorei ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verídica, sim! Foi uma experiência e tanto! Muito obrigada <3

      Excluir
  11. Eu também ficaria com cara de oh ceus oh vida e pensando se minha mãe não entraria pela porta com um cinto na mão pra me bater com cara de culpada hUAHUAHAUHAUHA Mas tenho tara por bombeiro ~carinha de sol do whatsapp~
    www.rumorandhorror.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahahaha sim, a gente se põe muita culpa, não é? Mas pelo o que eu pude vivenciar, é uma coisa bem comum hahahahaha

      Excluir
  12. História pra contar pro netos!! Também quero!! Haha

    ResponderExcluir
  13. Primeiramente quando eu crescer quero conseguir escrever 1/4 da forma como vc escreve, é sensacional... Segundo, eu adoro clubes de striptease, pra mim é um ambiente sem mtos rótulos sabe?! Assim como casas de Swing... rsrs
    Amei sua experiência... bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa! Muito obrigada, Nanninha! É muito importante e gratificante ler comentários assim <3 E sim, guria, é um lugar muito libertador para muitas mulheres!

      Excluir
    2. Naninha, nao seja ingenua...Amanda nao escreve, desvia.
      leia mais matérias a.fora que isso se explica..

      Excluir
  14. hahaha que demais!
    Mas esse é o grande segredo, não o que acontece, mas como é contado.
    Ficou demais a sua história, matou a pau! (sem sentidos eróticos por favor, chega o seu texto hahahaha)

    Parabéns, beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. HAHAHAHHA, boa, Francisco! E muito obrigada, viu? Fico feliz que tenha gostado <3 um beijo

      Excluir
  15. Minha nossa, que texto mais maluco! Esse parágrafo da Sol me fez rir muito haha. Eu fico me imaginando num lugar desses... eu ia sair correndo antes de a primeira dança começar. Vou falar a verdade: eu sou uma pessoa careta! Eu nunca me envolvi com ninguém, sempre fico NERVOSA MESMO quando o assunto é outras pessoa, e prefiro passar minhas noites tomando chá e vendo filmes dos anos 60. Definitivamente não daria certo hahaha.

    Mas parabéns pela coragem, moça! :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahahahha eu acho maravilhoso pessoas que conseguem ser caseiras. Eu já fui muitoooo de sair e louquear, hoje em dia já estou mais parada, mas sempre gostei de estar no meio da muvuca e experimentar coisas novas. é como eu sempre digo "faça-me arrepiar e sentir um pouco de arrependimento, e serei sua eterna companheira".

      Excluir
  16. GEEEEEEEENTE! Que louco!
    Esse é o tipo de história que eu adoraria contar! hahaha
    Nossa, acho que eu provavelmente estaria do mesmo jeito que você se descreveu, estasiada e no fundo meio constrangida. Eu também imaginava tangas, mas não nudez total!
    Se pudesse voltar ao passado, você ainda teria ido?

    www.ultimobiscoito.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza, Nayandra! Esse é o tipo de experiência que as pessoas precisam ter, sabe? Sair um pouco do casulo e ver o que o mundo pode te oferecer. Por mais que eu não vá voltar lá outro dia, tenho uma história boa para contar e uma mente um pouquinho diferente.

      Excluir
  17. EU TÔ É CHOCADAAAA! Menina do céu, tem que ter coragem! Confesso que é o tipo de experiência que eu não viveria, mas adorei saber sua história. Espero que se recupere do back HAHAHA.

    www.publicandoblog.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahahahahah foi engraçado e apavorante ao mesmo tempo! É o tipo de experiência que todo mundo tem que ter! Um beijo, Gio!

      Excluir
  18. Oi gêmea de blog!

    Que experiência legal! Eu nunca fui - ainda. Tenho muita vontade, mas nunca lembro ou procuro uma festa assim. Imaginando uma cara de "a senhora está enganada, venho todo dia aqui" kkkkk Quero ser a Sol quando crescer! Eu imagina as fantasias e não tinha pensando no óbvio que tinha nudez hahaha

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, gêmea <3 Sim, guria, eu só fui porque umas amigas minhas me convidaram, senão eu jamais teria procurado e ido. Ainda bem que disse sim ao convite, pois foi uma experiência e tanto!

      Excluir
  19. Meu Deus! Amei teu texto, ficou muito bom e engraçado! kkkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Eskarlet! Logo, logo virá mais um. Fique ligada ;)

      Excluir

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo